•07:46
Muitas mulheres ainda continuam submissas aos homens.
Os tempos são outros, mas os padrões limitantes são os mesmos de antigamente.
Vemos muitas mulheres sendo o que não são, apenas para agradar seus parceiros, e assim continuam vivendo suas “vidinhas” insatisfeitas e infelizes.

O masculino doente existe, é claro, mas o mais lamentável são as mulheres que se permitem ser subordinadas e manipuladas, sem ter direito de expressar suas opiniões, seus desejos, seus sentimentos, sem ter o direito de viverem e serem o que realmente são - ficando condicionadas a obedecer aos padrões degradantes e insensatos, impostos pelo parceiro que vive em estado inconsciente, comandado pelo ego.

Escrava moderna - Em troca de alguns carinhos, agrados, presentes, viagens, sexo, muitas se permitem ser escravizadas no corpo e na alma, deixando que os pequenos momentos de prazer e alegria sejam a motivação da sua relação. Não percebem que por trás de todo esse luxo material e externo, a alma não é alimentada, e que falta algo muito importante: o amor.

Muitas pensam que essa relação de limitações, autoritarismo, cobranças, egoísmo, agressividade, possessividade, ofensas, é o tão esperado amor. Puro engano! Isso não é amor.
O amor real é libertador, ele te deixa totalmente livre para você expressar sua alma e ser você mesma, esse amor te inspira, te compreende, te anima, te motiva a fazer coisas que você realmente gosta, ele não te obriga a nada, ele te deixa à vontade para você simplesmente Ser.

Esse é o prazer real da existência e, quando descobrimos esse amor saudável, percebemos também como o mundo está repleto de atrocidades chamadas de “amor”. Quantas pessoas se enganam, achando que a felicidade está em ser submissa ao homem que ama, em obedecer e aceitar tudo que ele diz.

As pessoas em geral perderam o sentindo e o verdadeiro significado da palavra AMOR.
Essa palavra que é tão sublime, mas que no fundo... é muito mais que um sentimento.
O amor não tem medida, ele é tudo, ele é o infinito, ele é a vida que nos mantém aqui.
O amor é transparente, transcedental, é a divindade que existe em cada um de nós.
O amor está no ar que respiramos, está na beleza do céu azul, está no cheiro das flores, está no cantar dos pássaros, está na Terra e no Céu, o amor é TUDO.
Tudo que nos cerca, tudo que nos preenche, tudo que nos completa.
Está em tudo que nos torna seres melhores e evoluídos, com consciência do Sagrado e do Divino.

Se quer conhecer o amor, olhe para dentro de você e sinta-o.

Se você não consegue sentí-lo, lembre-se: o interno reflete o externo.
Se você não sente o amor dentro de Si mesma, certamente não sentirá aqui fora e, muito menos, será recíproco.
|
This entry was posted on 07:46 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

1 comentários:

On 23 de fevereiro de 2010 22:02 , Simone Alves disse...

Fique a vontade para comentar sobre o artigo... Grata